sexta-feira, 5 de julho de 2013

REFLEXÃO

Sou conservador em poucas coisas (embora seja tradicionalista, o que é diferente). Isso não me leva, porém, a defender revoluções de "chinelo" no pé, nem a desprezar o que foi feito em décadas, séculos ou milénios, com esforço e saber. Uma vez numa AG, um antigo Presidente do Belenenses, o juiz Gouveia da Veiga, disse isto, salvo erro por quase exactas palavras: "Os senhores agora é que sabem tudo. Antes de vocês chegarem, eramos todos umas bestas. Veremos no futuro o resultado de tanta sabedoria". E viu-se. Infelizmente...

Pois houve uns "patetas", uns "burros velhos" que (antes de eu nascer ou me fazer mentalmente adulto) fizeram do Belenenses um dos 4 grandes clubes portugueses. Fomos os primeiros em muitas coisas (muito mais do que se imagina). Descemos dessas alturas? Pois descemos; mas só descemos por lá ter subido. E aí, nesse pedestal, estivémos 70 anos. Em síntese, o que os "palermas" que eram BELENENSES fizeram, com os seus altos e baixos, foi um dos 4 maiores clubes portugueses. E começaram com nada, e desde o 1º momento a sofrer com a guerra aberta do Benfica, do Sporting e dos poderes já constituídos.

Veremos os que farão os frios gestores "muita bons" em gestão, profissionalismo e negócios. O que farão para o Belenenses, quero dizer. O que farão para si, é coisa muito diferente, e não necessariamente coincidente, ao contrário do que se dá por adquirido. Se correr mal para nós, veremos quantos dos grandes entusiastas cá estarão. Se correr bem, duvido que alguém fique mais satisfeito do que eu. Mas ainda assim, nunca terei por gestores e homens de negócio não Belenenses, nem por gente de plástico, o apreço que tenho por grandes homens e mulheres que deram muito da sua vida por amor ao Belenenses.